Cadastre-se para
receber dicas!

Convention & Visitors Bureau

Olá Líder Voluntário,

Neste artigo falarei um pouco do Convention & Visitors Bureau – uma organização sem fins lucrativos, conduzido por uma diretoria voluntária e que tem um objetivo muito específico.

Muitas pessoas acreditam que estas organizações existem à pouco tempo. Isso se dá porque consideram a data de fundação da mesma em sua cidade como referência. Porém, a história desta centenária organização, que tem atuação no mundo inteiro é bem mais antiga.

Ela começa no final do Século XIX, em Detroit, cidade americana, na época, conhecida como uma das mais ativas produtoras de fogões e móveis de cozinha dos Estados Unidos, onde haviam obtido um grande aumento na produtividade e racionalização dos custos de produção, introduzindo o conceito de economia de escala.

Já no início de 1896, muitos homens de negócios, das mais variadas cidades, chegavam à Detroit para participar de convenções, congressos e reuniões de trabalho. Os hotéis, restaurantes, táxis, bares e boates viviam recheados de gente animada com muita propensão para gastar. A cidade já começava a evidenciar certa vocação para o turismo de negócios naquele final de século.

Um artigo publicado na época, da autoria de Carmichael, chamava a atenção para a concorrência predatória entre os empresários, olhando cada um para seus próprios interesses, indicando que deveriam privilegiar uma visão global e estratégica do mercado. Assim, atuariam de forma coletiva em favor do desenvolvimento econômico da cidade como um todo, atitude a qual, na visão do jornalista, acabaria por beneficiar cada um dos participantes.

Surgia ali a gênese de todo Bureau: um escritório de negócios que busca agir no fomento da economia local de forma a garantir o incremento dos negócios de todos os associados mantenedores e perpetuar suas empresas.

É interessante compreender aqui um conceito que faz toda diferença na vida de um presidente ou diretoria do Bureau: sua missão está estabelecida desde a origem. O que parece uma obviedade, mas encerra grande impacto na gestão. Explico: com missão estabelecida não cabe à uma nova diretoria mudá-la, não é possível pensar em assumir um Bureau e querer mudar sua missão para, por exemplo: representar os interesses das empresas de saúde. Se um presidente assume o Bureau, ele sabe o que se espera dele – está no DNA da organização.

Mas isto não indica que está engessado, o presidente pode estabelecer uma visão – um propósito de curto prazo para o seu mandato.

Captura de Tela 2016-06-08 às 13.09.47Foi assim com o Convention & Visitors Bureau de Florianópolis e Região. Pude participar, como consultor, do planejamento estratégico da organização, onde a diretoria estabeleceu um propósito (visão) totalmente alinhada a missão, mas que refletia a necessidade do momento na organização: reduzir a dependência do turismo de verão.

O turismo de verão é sazonal e ocorre apenas, e na melhor das hipóteses, por três meses no ano em Florianópolis. A infraestrutura de equipamentos turísticos fica subutilizada, onde o dinheiro ganho durante a temporada é gasto para manter a estrutura funcionando nos demais meses do ano, levando à uma conta de resultado zero.

Era preciso sair deste modelo sem ganho. Precisava quebrar o ciclo da sazonalidade!

E este foi o grande desafio estabelecido por aquela diretoria: buscar sistematicamente formas de reduzir a dependência ao turismo de verão, buscando eventos para as demais estações, garantindo receita para os associados o ano todo.

Aqui temos uma grande lição: uma organização sem fins lucrativos, na sua grande maioria, tem sua missão definida em estatuto na sua criação e não podemos ficar “reinventando a roda”, porém, a cada mandato, podemos colocar o “nosso jeito” de alcançar esta missão, ou seja, nossa visão!

Fraternalmente,

LucPinheiro

Captura de Tela 2016-06-08 às 13.03.17

DEIXE SEU COMENTÁRIO