Cadastre-se para
receber dicas!

Dica de leitura: James Allen, os oito pilares da prosperidade

Olá,

 

Na semana passada, enquanto aguardava um voo, passei na livraria e vi, surpreso, o relançamento do livro Os Oito Pilares da Prosperidade de James Allen. Surpreso, pois é um livro do início do Século (foi publicado originalmente em 1911) que tive oportunidade de ler enquanto estava na faculdade (lá pelos idos de 1990) e porque marcou muito da minha conduta nestes anos e que já não lembrava de sua existência.

 

Comprei, é claro! E “devorei” durante o voo.

 

Agora, mais “vivido”, tenho uma leitura mais crítica sobre o mesmo e menos romântica. Mas ao chegar ao final, tive que concordar com o editor desta nova edição, que diz que o mesmo ainda é atual. E mais: acredito que possa ajudar na conduta de todo líder voluntário.

 

O que segue, é a minha tentativa de listar cada um dos oito pilares e suas subestruturas; um resumo que fiz para ler sempre que as coisas ficarem difíceis na condução das entidades.

 

O primeiro pilar é o da ENERGIA: é a energia que atua  em toda realização. É uma virtude moral. O entusiasmo para exercer o esforço necessário para a realização de qualquer tarefa. Esta é composta de: PRESTEZA (as pessoas que são alertas, prontas e pontuais inspiram confiança); VIGILÂNCIA (é o companheiro próximo e protetor de todo sucesso, de toda liberdade e sabedoria); ATIVIDADE (as pessoas vigorosamente trabalhadoras são os integrantes mais felizes da comunidade); e SERIEDADE (é a dedicação da mente toda a tarefa – só vivemos naquilo que fazemos).

 

O segundo pilar é a ECONOMIA: é concentração de poder, conservando tanto o capital como o caráter, este último, considerado como capital mental. Este pilar é composto de: MODERAÇÃO (consiste em abster-se do desnecessário e prejudicial); EFICIÊNCIA (toda habilidade compreende o uso da energia concentrada); ENGENHOSIDADE (os homens engenhosos inventam, descobrem, tomam a iniciativa; eles não podem fracassar pois estão no fluxo do progresso); e ORIGINALIDADE (onde há originalidade existe o gênio, e os homens de gênio são as luzes do mundo).

 

O terceiro pilar é a INTEGRIDADE: honestidade inquebrantável; manter invioláveis promessas, acordos, contratos, independentemente de considerações de perdas e ganhos. Este pilar é composto de: HONESTIDADE (é o caminho mais seguro para o sucesso; o homem honesto tem a visão clara e o olhar firme); DESTEMOR (é uma torre de força na vida, apoiando-o em todas as situações de emergência, permitindo-lhe enfrentar corajosamente as dificuldades); DECISÃO (é o resultado direto da força de caráter que promove a integridade); e INVENCIBILIDADE(é a proteção gloriosa, daqueles que nunca violam o princípio da integridade e são invencíveis contra todos os assaltos de insinuações, calúnias e falsas declarações).

 

O quarto pilar é o SISTEMA: subordinação de todos os detalhes à ordem, aliviando assim a mente de trabalho e tensões supérfluas, reduzindo tudo a uma só coisa. Este pilar é composto de: PRESTEZA (é vitalidade; é esse espírito de vigilância pelo qual uma situação é imediatamente compreendida e tratada); PRECISÃO (está ligada intimamente a autodisciplina; a medida da precisão de um homem será a medida de sua singularidade e perfeição); UTILIDADE (é resultado direto do método de trabalho; que é produtivo e rentável quando é feito sistematicamente); e ABRANGÊNCIA (é a qualidade da mente que permite ao homem lidar com  um grande número de detalhes relacionados.

 

O quinto pilar é a SIMPATIA: é uma ternura profunda, silenciosa, inexprimível, que se revela em um caráter sistematicamente abnegado e gentil. É composto de: BONDADE (é imutável e não precisa de estímulo externo para que seja forçada a se manifestar); GENEROSIDADE (liberal de coração e generoso nos gestos, não só dando alegria, mas concedendo a seus amigos e companheiros a liberdade de pensamento e ação); GENTILEZA (é semelhante a divindade; o homem aperfeiçoado nunca briga, nunca retruca uma palavra dura, prefere atender com uma palavra gentil, muito mais poderosa que a ira); e PERCEPÇÃO (antes de podermos conhecer uma coisa ou ser, nossa vida deve tocar a própria vida ou sua vida).

 

O sexto pilar é a SINCERIDADE: sinceridade e franqueza, sendo forte e verdadeiro; portanto, não sendo uma pessoa em particular e outra publicamente. É composto de: SIMPLICIDADE (é naturalidade; é ser simples, sem falsidade ou afetações imitadas); ENCANTO (há um encanto perene em um homem e uma mulher sinceros); PERSPICÁCIA (pertence ao sincero; que permanece em guarda sem ser prevenido); e PODER (é conhecer todas as ações e lidar com elas do modo melhor e mais correto).

 

O sétimo pilar é IMPARCIALIDADE: livrar-se dos preconceitos é uma grande conquista. Promover a justiça; não forçando a própria vontade. É composto de: JUSTIÇA (é dar e receber em valores iguais); PACIÊNCIA (deve-se ter um coração em paz para com aqueles que discordam de nossas opiniões); CALMA (o homem que não for calmo não poderá ser imparcial); e SABEDORIA (a mente sábia é como o mundo, que contém todas as coisas em seu devido lugar e ordem, e nem por isso se sobrecarrega).

 

O oitavo pilar é a AUTOCONFIANÇA: apoio em princípios que são estáveis e imutáveis, e não recorrer aos outros em busca de suporte. É composto de: DECISÃO (torna o homem forte; não importa que duvide, mas não pode duvidar de sua capacidade de agir); FIRMEZA (é o voto da alma a se manter fiel a seus princípios, venha o que vier); DIGNIDADE (o homem de dignidade não pode ser oprimido nem escravizado); e INDEPENDÊNCIA (vem do trabalho e não da ociosidade; apenas aquele se se sustenta é livre).

 

Pense, o quanto sua vida é edificada sobre estes pilares?

 

Boa semana,

 

LucPinheiro

COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO